Como atrelar envelhecimento a qualidade de vida

Estudos e novas tecnologias médicas ajudam pessoas a aproveitarem as fases maduras com mais saúde e qualidade de vida

Por Iris Azi

Envelhecer com saúde. Parecem duas coisas opostas e intangíveis, mas está ao nosso alcance, quando fazemos uso das mais novas tecnologias de estética e bem-estar disponíveis no mercado. Afinal, quem não quer se manter jovem, com um corpo bonito e saudável? Com uma silhueta atraente e poder namorar muito nos anos que ainda estão por vir? Sim, a mulher madura quer e merece viver mais e melhor!

Hoje em dia, ninguém mais é refém da sua genética. As pessoas não precisam sofrer por deficiência de “x” hormônios ou com os sintomas da menopausa ou andropausa e achar que isso é normal do envelhecimento. É possível ter uma vida saudável com o vigor físico, a memória e o desempenho sexual semelhante aos 30 anos de idade, com saúde, alegria de viver e sem as mazelas do avanço da idade. É o que afirma a medicina Anti-Aging (do inglês: antienvelhecimento), que surgiu na última década nos EUA e Europa.

O termo “Medicina Anti-Aging” não quer dizer que se trata da medicina com o poder de parar o processo de envelhecimento ou ainda que se trata de medicina estética. Todos nós sabem que o processo de envelhecimento é inevitável. Na verdade, o objetivo da medicina antienvelhecimento é retardar o processo de envelhecimento e dar mais qualidade de vida às pessoas.

envelhecimento2

A Medicina Anti-Aging é um programa de longo prazo, através do qual o médico passa a ser um consultor em saúde que, junto ao paciente, elabora um projeto personalizado e integrado, visando o bem-estar e a qualidade de vida.  A Medicina Antienvelhecimento nada mais é do que uma Clínica Geral voltada exclusivamente para o bem-estar do indivíduo, durante a transição da idade madura para a temida “terceira idade”.

O médico americano Jeffry Life, hoje com mais de 70 anos, tonou-se um ícone da medicina antienvelhecimento. Ele é um exemplo vivo do que os homens podem fazer para manter a qualidade de vida e evitar doenças na velhice. Contudo, não é preciso chegar aos 50, 60 ou 70 anos para iniciar o tratamento. Qualquer pessoa pode se beneficiar com esse tipo de abordagem. Afinal, nunca é cedo nem tarde demais para cuidar de si mesmo. No Brasil, as pessoas tendem iniciar o tratamento depois dos 25 anos, mas  no Japão, as primeiras atividades de prevenção antienvelhecimento começam a partir dos 5 anos. Isso ocorre porque no Japão existe um alto grau de consciência em relação à longevidade saudável.  Tenho 48 anos, mas a minha idade biologia é de 33 anos, resultado dos meus bons hábitos alimentares, das atividades físicas, atividades de bem estar e acompanhamento médico.

É por meio do exame de sangue que são verificados os níveis de hormônios da tireóide, hormônio da supra-renal (DHEA), hormônios do crescimento, os níveis dos hormônios sexuais femininos e masculinos, como também o cortisol, que são identificados os déficits e recolocados os hormônios bioidênticos (não causam danos à saúde) ou sintéticos (possuem efeitos colaterais importantes), para que o indivíduo possa ter o envelhecimento retardado.

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado.

*