Ganhadeiras de Itapuã são as vencedoras do Festival da Música Ilimitada

Banda foi à escolhida dos jurados e fez uma bela festa na comemoração

Itapuã foi o polo vencedor do Festival da Música Ilimitada. A tradição e o carisma não só encantou o público, já que a atração foi escolhida na segunda fase por voto popular, como os jurados que deram as Ganhadeiras de Itapuã o título de vencedora da primeira edição do festivalOs Agentes, banda que empatou com a vencedora no gosto do publico conquistou o segundo lugar no evento e terceiro quem levou foi a Preto Sábio. Os três primeiros colocados do festival serão contemplados com diversos prêmios para melhor gerenciamento de carreira. Formado por nomes como Ana MamettoJuliana RibeiroJuninho CostaPeu Meurray e Fabricio Mota, o júri levou em consideração interpretação, qualificação técnica do grupo, mérito artístico, autoralidade, originalidade e performance de palco. O Festival da Música Ilimitada é promovido pela Odò Produção Cultural, com o patrocínio da TIM e do Governo do Estado da Bahia, através do Programa Estadual de Incentivo ao Patrocínio Cultural, FAZCULTURA. O projeto teve a curadoria da Maquinário Produções e Direção Musical e Vince de Mira.

As Ganhadeiras de Itapuã – O grupo é composto, na sua essência, por antigas lavadeiras da Lagoa do Abaeté. À beira da lagoa, elas lavavam e nos intervalos havia batuques, sambas de roda, cantorias e contavam histórias. O grupo é formado por vinte e cinco jovens e senhoras, que exercem profissões diversas. Nas apresentações musicais ornamentam-se com roupas coloridas, pano da costa, torços e colares desementes. É integrado, ainda, por oito músicos que tocam instrumentos de corda – violão, violino, viola, bandolim, cavaquinho, percussão, repique, atabaques, surdo, timbau, alfaia, tamborim, agogô, e sopro – flauta e pífanos – que se unem à sonoridade das vozes das Ganhadeiras de Itapuã, compondo uma música que grande parte tem autoria delas e de compositores de Itapuã, também reinterpretando temas clássicos sobre Itapuã e o mar.

IMG_2449

IMG_2449

IMG_2531

IMG_2531

IMG_2623

IMG_2623

IMG_2695

IMG_2695

IMG_2707

IMG_2707

IMG_2449 thumbnailIMG_2531 thumbnailIMG_2623 thumbnailIMG_2695 thumbnailIMG_2707 thumbnail

Música Ilimitada – No projeto, localidades de camadas populares funcionaram como polos musicais, nos quais três bandas se apresentaram e uma se classificou para ficar entre as dez, que disputam as seis vagas para a grande final. Os bairros Alagados, Sussuarana, Plataforma, Engenho Velho de Brotas, Cajazeiras, Itapuã, Tancredo Neves e Liberdade, em Salvador, além de Camaçari e Lauro de Freitas receberam o Musica Ilimitada. Das mostras foram classificadas dez bandas que foram submetidas à votação popular, através do site www.musicailimitada.com.br, que escolheu duas representantes, Ganhadeiras de Itapuã e Os Agentes. Na etapa inicial foram a voto popular: Giramente (Camaçari), Efeito Manada (Alagados), Os Agentes (Sussuarana), O Terreiro (Plataforma), Preto Sábio (Engenho Velho Brotas), Nouve (Cajazeiras), IV de Marte (Beiru), Ganhadeiras de Itapuã (Itapuã), Eric Almeida (Lauro de Freitas) e Balansoul (Liberdade). Para as finais, outras quatro foram indicadas por um júri formado por renomados profissionais da música baiana: Nouve e O Terreiro e  Efeito Manada e Preto Sábio.

 

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado.

*